quarta-feira, 9 de abril de 2014

FILME NOÉ - CRÍTICA



Hoje, 08 de abril de 2014, fui ao cinema assistir ao filme ‘Noé’ (do diretor Darren Aronofsky),  lançado no Brasil no último dia 03.

Confesso que criei muitas expectativas em relação ao filme, não pela história que eu já havia lido dezenas de vezes, mas principalmente pelo fato de ser um filme exibido em 3D. Mal podia esperar pela hora de colocar os óculos tridimensionais e ver aquele monte de água invadindo a sala do cinema com as pessoas gritado devido aos efeitos especiais... Porém, me decepcionei.

Fiquei surpresa com a maneira como a história foi distorcida, e como o efeito visual que eu esperava foi tão rápido, que quase não foi importante para a cena (a chuva em si virou coadjuvante); muito embora o filme tenha uma superprodução; com excelentes atores, uma bela fotografia e um figurino fidedigno.

Eu tinha visto uma entrevista no Fantástico  com o protagonista do filme, Russel Crowe, onde ele dizia que a única diferença entre a história contada no filme, em relação a que está registrada na bíblia, seria o fato de que Noé (protagonista) teria o poder de decidi se salvaria ou não a humanidade; entretanto quem conhece a história que está no livro sagrado percebe claramente que a única coerência entre ela e a obra do diretor é o fato de um homem ter construído uma arca para proteger sua família, a si próprio e os animais de uma chuva com propósito divino. E as semelhanças param por aí. Neste caso, vale ressaltar que é de arrepiar a cena em que os animais começam a chegar na arca...


Analisando por outro ângulo, o filme mostra um Noé desalmado, manipulado por uma missão que ele só cumpre por obrigação, onde quase não mostra suas práticas de fé para com Deus e em relação à humanidade.

Os Nefilins (gigantes de más condutas que habitaram a terra) foram substituídos por pedras falantes do bem, dado um ar de filme de gênero super-herói. A contagem do tempo entre a construção da arca e a vida de Noé e sua família foi perdida. Um invasor também habita a arca e promove a rebelião de um dos filhos de Noé contra o próprio pai. Apenas um filho de Noé entra na arca acompanhado de sua esposa... E dentre tantas outras cotradições, a vida dentro da Arca é um verdadeiro inferno, repleto de dor e tormentos..

Assim como na maioria dos filmes, que são baseados em livros, os diretores e roteiristas sempre dão uma modificada nos textos originais para dar uma dinâmica diferente à história. Todavia, no caso deste filme, a criatividade foi tanta que nem parece que se trata da mesma história, a escrita na bíblia e a história que se passa o filme.

Talvez o filme devesse se chamar “A nova versão de Noé”; sendo assim ele ficaria bem mais coerente às necessidades dos idealizadores da obra, e mais aceitável pelo público que conhece bem a história escrita. Portanto, desta vez, diferente de todas as minhas experiências anteriores, inclusive como Especialista em Linguagem Audiovisual, tomarei uma postura de uma mera leitora apaixonada por uma obra escrita, e direi... Prefiro o livro! ;)

A história de Noé inicia-se em Gênesis - Capítulo 5, Versículo 28. 


Assista o Trailer Legendado




sexta-feira, 4 de abril de 2014

PROGRAMAÇÃO INFANTIL NA TV, FAZ BEM!

Olá!
Confesso que estou ansiosa para ver no ar a nova novela das seis, ‘Meu Pedacinho de Chão’.

Depois do Sucesso de Carrossel, e agora da novela Chiquititas, finalmente a Rede Globo de Televisão resolvera investir, novamente, em uma programação voltada para o público infantil. E vamos combinar... ta com uma produção incrível!

O figurino está impecável, os cenários tanto quanto... O elenco é de primeira (tem até Antônio Fagundes). Fazia tempo que uma programação investia, e conseguia captar, tão bem o lado lúdico infantil. O que são as casinhas de latas? E as árvores forradas de crochê??? Lindo, perfeito!

A TV fechada possui uma programação variada voltada para este público, porém com conteúdos internacionais e bastante elitizados, os quais interferem diretamente nas escolhas das crianças brasileiras. O fato é que NÃO TEMOS MAIS REFERÊNCIAS iconográficas infantis nacionais.

Todavia, é a Rede Globo que ainda domina a programação da maioria dos lares do nosso país, e, segundo as últimas pesquisas do IBOPE, em total coerência com tudo o que foi apresentado no programa ‘Vem aí’, além do que vemos por todos os cantos onde tem uma televisão ligada, ela ainda continuará dominando por muito tempo e com muito investimento voltado para sua TV aberta, direcionada a “massa” da população.

Todo mundo cometa sobre os capítulos da novela das nove (o país para ver seu último capítulo), também comentam sobre o Caldeirão do Huck, BBB, Jornal Nacional, e etc. Está mais do que comprovado que a programação da Globo ainda bate o recorde, não só em audiência, como em relação a referências comportamentais. E os publicitários lucram muito em cima disso.

Por estes motivos, eu, na posição de Especialista em Linguagens e Mídias Audiovisuais, fico feliz com esta nova proposta de novela – FÁBULA. Muito mais devido aos meus sobrinhos (com idades entre 4 e 7 anos) que têm assistido muita ‘Malhação’.

Acredito, plenamente, que uma programação infantil na TV aberta (ainda consumida pela
maioria) que resgate os valores familiares, culturais, de caráter, amizade, respeito, educação, amor ao próximo, dentre outras qualidades; pode interferir diretamente no comportamento desta nova geração (‘Z’), que já nasce com o controle remoto do videogame nas mãos e substitui o lápis pelo mouse e o livro por uma tela de computador. Uma geração que tem acesso a todo e qualquer tipo de informação sem filtro, que nem possui a capacidade de compreender e processa-las a benefício próprio. São crianças “formatadas” para o consumismo desenfreado viventes de um planeta em crise, onde quase não há mais o que se consumir sem grandes consequências.

Estamos todos cansados de ligarmos a TV e vermos tragédias, mortes, destruições, doenças, corrupção, sexo, intolerância e coisas do tipo. Necessitamos de um antídoto; e viajar para um mundo mágico, onde tudo é colorido, é um deles.

Veja o que Benedito Ruy Barbosa, autor da novela ‘Meu Pedacinho de Chão’, falou na coletiva de imprensa. http://180graus.com/novelas/autor-reprova-beijo-gay-e-diz-globo-recusa-novelas-com-amor-e-politica


E que esta obra sirva como inspiração para tantas outras na TV aberta brasileira,  porque os adultos também merecem








CONFIRA TAMBÉM Mais Postagens Sobre este Tema 




#meupedacinhodechao

segunda-feira, 31 de março de 2014

Performance do Ator Baiano Messila Ramos

Mais um trabalho de Mari Studio Produção.

Vem coisa nova por aí... 

Ficha Técnica:

Figurino, Maquiagem e Fotografias: Lucimari Paixão
Modelo Fotografado: Messila  Ramos (ator)
Uma homenagem ao grande artista Ney Matogrosso


Confira o Ensaio na Íntegra


















































CLIQUE NA FOTO PARA VER EM Slideshow

LP Fotografia -Salvador/Bahia

GOSTOU? Então CURTE AÍ